Eu sou o Filipe!

Filipe Coelho da Silva. 33 anos. Frequentei Engenharia Informática, e trabalho na mesma área.
Sou preguiçoso. Para algumas coisas.
Gosto de descobrir. E de ter sucesso.
Gosto de estar acompanhado. Gosto de estar sozinho.
Gosto de falar. Gosto de estar calado.
Gosto de fazer coisas. Gosto de não ter nada para fazer.
Gosto de preto. Gosto de branco.
Gosto de música. Gosto de silêncio.
Gosto de frio. Gosto de quente.
Gosto da família. Gosto dos amigos.
Gosto do meu país. Gosto do mar. Gosto do sol.
Gosto de fotografia.

Descobri a fotografia por volta dos 26 anos. Nos dias de hoje, é uma das coisas que preenche a minha vida. Acho possível através de uma imagem, voltar a viver um momento. Registar um momento, é eternizá-lo!

Uma fotografia despoleta emoções. Falaria, se pudesse. E contaria a sua história.
No fundo, ela fala. Para quem a consegue ouvir. Para quem entende a linguagem.
Não fala o mesmo a todos. Diz umas coisas a uns, e outras a outros. Não que seja instável, mas porque está incompleta.
Uma fotografia completa-se, quando é exposta. Aí, cada espectador irá terminar a história dessa fotografia, em função dos sentimentos e das emoções que ela lhe desperta. E do que a imagem lhe disse. A ele. Porque a outro… dirá algo diferente.

Fotografar, para mim, é um acto diário que não precisa de equipamento. Basta enquadrar com o olhar, e imaginar qual seria o resultado.
Vivo a fotografia de uma forma intensa. Muitos não compreendem. É preciso sentir o mesmo para entender.

Filipe Coelho

Segue-me no Facebook    Segue-me no Twitter    E-mail Filipe Coelho

Filipe Coelho

Algumas frases que me fazem pensar, e das quais me tento não desviar:

Eu sou responsável pelo que digo. Não pelo que tu entendes.

“Pedras no caminho? Guardo-as todas. Um dia vou construir um castelo.” – Fernando Pessoa

“Se não sabes dançar bem, levanta-te e dança. Os bons bailarinos não são bons pela sua técnica, são bons por causa da paixão que os move.” – Martha Graham

“A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.” – Charles Chaplin

“Eu nunca culpo a luz pelo que ela faz, mas amo-a pelo que ela pode fazer.”

  

NOTA: Este site não está escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.